Lectio Divina – Dia 31 de março de 2011

Olá pessoal!

“Novo dia surgiu e o povo que andava nas trevas viu uma intensa luz, seu clarão, sua glória, a resplandecer!”

Que bom poder viver a cada dia, um pedacinho do que foi aquela manhã de domingo, que depois das trevas trouxe a luz! Que bom poder experimentar ao abrir os olhos, esse gostinho de ressurreição! Sensação que nos faz almejar o Grande Dia, o grande Aleluia, a Páscoa do Senhor. Que bom saber que é para lá que este deserto nos levará… Agradeça a Deus por isso, e delicie-se na chance que desce do céu para você, o dia de hoje…

Os textos da liturgia de hoje são: Jer 7, 14-23; Sl 94; Lc 11, 14-23.

A primeira leitura de hoje nos traz uma exortação de Deus para nós a respeito da felicidade: “Escutai minha voz: sereis vosso Deus e vós sereis o meu povo; segue sempre a senda que vou indicar, a fim de que sejais felizes.” Jer 7, 23.

Todos nós queremos a felicidade, pois bem, o Senhor fala claramente em Jeremias que para isso devemos seguir a senda que Ele nos indicar. Ele nos indica esta senda diariamente na Palavra de Deus, mas mesmo assim acabamos por buscá-la diariamente em tantas outras coisas, trabalho, estudos, diversão, relacionamentos… e no final do dia, extremamente cansados paramos e nos queixamos que não fomos felizes. Isso não é sabedoria.

Vamos tomar o Evangelho de hoje que está em Lucas 11, 14-23. Leia quantas vezes quiser, e anote aquilo que lhe prendeu a atenção.

O Senhor diante de seus adversários, sempre respondia com sabedoria. A sabedoria confunde os adversários, é uma espécie de resposta incontestável, que deixa o outro sem saída. Jesus é cheio da sabedoria divina, por isto ela está intrínseca na Palavra de Deus. Nós vamos adquirindo este saber na medida em que vamos ficando íntimos da Palavra de Deus. Peça hoje a sabedoria de Jesus.

Se é preciso ser sábio para escolher o caminho certo para a felicidade que está na Palavra de Deus, e pra ser sábio é preciso que sejamos íntimos da Palavra, não há para onde correr. Como você tem feito suas escolhas, sua agenda diária, estabelecido suas prioridades, a partir da Sabedoria Divina (loucura para o mundo) ou a partir da sabedoria dos homens (loucura para Deus)? Converse com Deus sobre isso e anote em seu caderno.

Em oração, deixe-se envolver pela graça de Deus. Confie a Jesus a sua casa interior, convide-o para ser o homem forte a guardar a sua casa. Escreva os frutos de sua oração.

Até…

Que Deus nos abençoe!

Anúncios

Lectio Divina – Dia 30 de março de 2011

Bom dia meu Pai!! Nunca esqueça que o Pai é uma pessoa viva, Ele se comunica conosco, para cada pessoa o Pai usa um jeito único e pessoal para se comunicar. Qual é o jeito que o Pai se comunica com você? Você sabe? Fique tranqüilo (a), através da oração diária você acabará descobrindo, pois o Pai se comunica sempre da mesma forma, ele é simples e bom.

Abra-se também para a acolhida ao Espírito Santo, Ele chega para nos levar ao mergulho nas profundezas de Deus através da oração. Vem amigo! Reze assim: Doce hóspede de minha alma, vem, visita-me! Reze livremente ao Espírito Santo, assim a cada dia se estreitará a sua união com o Espírito de Deus. Escreva o que chamou sua atenção na oração que saiu de seus lábios.

Os textos da liturgia do dia de hoje são:

Deuteronômio 4,1. 5-9; Salmo 147; Mateus 5,17-19;

Nossa meditação de hoje será com o texto do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus, localize: Mt 5,17-19. Leia atentamente o texto, acolha cada palavra de Jesus nesse texto.

No texto de hoje Jesus mostra a infinita importância da lei de Deus e de suas promessas, a ponto de dizer: “aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.” (Mt 5,19b). Medite sobre estas palavras de Jesus, escreva o fruto de sua meditação em seu caderno.

Em oração peça ao Senhor a sabedoria necessária para guardar sua lei e a graça de ensiná-la aos outros com seu testemunho de vida. Escreva este pedido a Deus, comprometa-se com Ele hoje, deseje sempre perceber as atitudes que ferem a lei de Deus.

Só Deus tem o direito de desistir!

Oi Pessoal,

Olha eu aqui depois de alguns dias…

O que mais pode nos impedir de sermos fiéis a nossa Lectio e tirarmos um momento para Deus no hoje é o fato de não termos sido fiéis no ontem. Tenho percebido como nós temos a facilidade de nos acostumarmos com as coisas, sejam elas boas ou ruins. E que se facilitarmos um pouquinho nunca alcançaremos os sonhos de Deus para nós.

Na semana passado meu pai ficou doente (dengue), ficou internado alguns dias e eu  fiquei quase que todo tempo com ele no hospital. Apesar de ter sido uma experiência interessante, poder cuidar do meu pai, eu acabei deixando de fazer a minha Lectio e consequentemente de postá-las aqui para vocês (peço desculpas), meu serviço também ficou um pouco atrasado, e nestes dias tenho trabalhado bastante para adiantá-lo.

Como ter ficado alguns dias sem fazer a Lectio contribuiu para que eu não retornasse ao propósito de fazê-la todos os dias!

É interessante como muitas vezes encaramos os nosso propósitos com Deus apenas como uma maratona, onde eu tenho que fazer de tudo para  estar sempre a frente, e  se eu cair uma vez sequer,  paro de correr. “Ah! Poxa, Eu fracassei!”, “Eu não consigo”, “Eu sou incapaz disso! Eu… eu… e mais eu… e onde fica Deus nessa história? Agimos como se Deus estivesse nos provando e nos esperando na chegada para dar a bandeirada final.

A que se pensar, estou fazendo isso para mostrar que eu consigo,(para os outros ou para mim mesmo) e se for assim tenho que estar preparado para o desapontamento porque ele vai chegar, ou se estou fazendo isso para colaborar a todo custo com um processo que Deus quer realizar em mim?

Nesse processo Deus está mais interessado no percurso do que na chegada. Porque Ele tem muito mais chance de trabalhar em nós durante o percurso do que na chegada simplesmente, até mesmo com as quedas. Podemos nos focar tanto em atravessar a linha de chegada e nem prestarmos atenção no que Deus está fazendo durante o percurso.

Como disse nada nos atrapalha mais de realizarmos o nosso propósito hoje, do que não ter realizado ontem. Por isso constantemente precisamos de marcos, o homem precisa de marcos em sua vida, de recomeços, por isso o dia tem 24h, por isso Deus nos prepara um novo dia, um novo ano, por isso estamos atravessando o deserto nesta quaresma… E nós católicos temos isso a nossa disposição no Sacramento da Confissão, pensando assim a gente começa a entender que este Sacramento não é simplesmente para perdoar os nossos pecados e deixar a nossa consciência livre, mas sim um grande meio de Deus trabalhar no percurso de nossas vidas.

Essa semana pude me confessar, não tinha me confessado ainda na Quaresma, e como estava me fazendo falta. Nestes dias fiquei mais vulnerável ao pecado, ao espinho da minha carne (não gosto de chamar de pecado de estimação), por isso no décimo dia da quaresma percebi que tinha  que contribuir um pouquinho mais com Deus e aumentei alguns propósitos quaresmais (espero poder compartilhar mais sobre isso em outro post).

Então gente, vamos lá, vamos levantar, porque o maior interessado nisso não somos nós. Fica o incentivo para você buscar a confissão e experimentar a potência de Deus diante da sua impotência. E é como costumo dizer, vamos ajudar a Deus no pouco que nós conseguimos, ninguém na face da Terra poderá fazer o que Ele faz com o seu pouquinho, por isso não gaste o que você tem, correndo o risco de acabar com nada. Só Deus sabe multiplicar…

Conto com vocês…

Abraços… Amo vocês…

Herick Viana

Lectio Divina – Dia 19 de março de 2011

Dia de São José, esposo de Maria e padroeiro da Igreja.

“Eis o servo fiél e prudente a quem o Senhor confiou a sua casa”. (Lc 12,42) Neste dia, busque se aproximar deste homem justo em sua oração, contemplando-se sentado(a) ao lado de São José. Converse com Ele, partilhe sobre suas dificuldades, buscas, anseios, depois escute o que Ele tem a dizer a seu coração. Anote os frutos desta oração e confie que podemos dialogar com os santos através da comunhão dos santos.

Bom dia meu Pai! Pai assim como confiastes vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo a São José, confia-me a Ele também no dia de hoje. Obrigada (o) Pai!

Peça também a vinda do Espírito Santo sobre seu coração: Vem Senhor!

Os textos da liturgia do dia de hoje são: 2 Sm7,4-5.12-14.16; Sl 88; Mt 1,16.18-21.24;

Sugiro que a meditação deste dia seja com o texto de São Mateus 1, 16.18-21.24. Localize o texto e se coloque no ambiente desse acontecimento. O Evangelho de hoje nos transporta para Nazaré, pequena aldeia visitada por Deus para realizar sua maior obra de amor e salvação. Leia o texto atentamente.

O versículo 16 nos lembra quem era José: “Ele é filho de Jacó e esposo de Maria, mãe de Jesus”. Veja que o Evangelho nos revela o mais importante a respeito de José: a sua missão de ser esposo de Maria, e com isso, proteger ela e Jesus. Deus o escolheu para essa missão no mundo. Deus dá a cada um de nós uma missão, ninguém vem ao mundo para dar um passeio. De forma sucinta, de acordo com o Evangelho de hoje, escreva em seu caderno: Quem é você? Qual sua missão?

Nos próximos versículos percebemos traços da humanidade de José. Quando percebeu que Maria, sua noiva estava grávida, ele teve dúvida, medo, mas sensivelmente tomou a decisão de deixá-la: “resolveu rejeitá-la secretamente” (v.19). Contudo, o Senhor o socorreu, enviando o anjo ao seu sonho. É Bíblico este socorro de Deus, pois Ele jamais abandonaria seu servo no erro. José pode assim mudar de atitude e “receber Maria”. Medite: alguma vez em sua vida Deus veio em seu socorro? Livrou você do erro?

Talvez você precise desse socorro hoje em sua vida diante de situações difíceis. Ore ao Senhor, ao Deus que livrou José de um erro irreversível. Que o Senhor também livre você de erros irreversíveis.

Vamos ainda meditar com o versículo 24, onde diz: “despertando”. Quando estamos com dúvidas e medo é como estar dormente, sem atitude, sem ação. Que pela força desta Palavra da liturgia de hoje, o Senhor nos dê a graça de um novo despertar para a vida. Portanto, ore fervorosamente, assuma a graça, deseje ardentemente despertar. Ore por uns instantes e escute o Senhor. Depois escreva sobre os frutos de sua oração.

Até amanhã.

Lectio Divina – 16 de março de 2011

Acolha o dom da presença do Pai a seu lado, pois seu coração deseja estar com Ele. O salmo de hoje tem como refrão: Ó Senhor não desprezeis um coração arrependido! (Sl 50). Aproveite a graça, peça este coração ao Pai.

Segundo São Jerônimo, tradutor e compilador das sagradas Escrituras, o Espírito Santo é essencial para compreensão reta e profunda do texto sagrado. Então peçamos: Espírito Santo, vem, ajuda-nos, leva-nos a ouvir a voz suave do nosso Pai Criador.

Os textos da liturgia do dia de hoje são: Jn 3,1-10; Sl 50; Lc 11,29-32;

Vamos meditar com o livro do profeta Jonas, se você tem possibilidade leia todo o livro de Jonas, é curtinho, somente quatro capítulos. Localize o texto de hoje: Jonas 3,1-10.

Jesus diz a respeito desta passagem do profeta Jonas: “Como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim o Filho do homem o será para esta geração.” (Lc 11,30). É o próprio Deus que nos convida a escutar a sua voz a partir do livro de Jonas. O grande grito deste profeta foi: “daqui a quarenta dias ‘Nínive’ será destruída” (v.4). Quarenta na bíblia tem um significado próprio e profundo, caracteriza ‘uma geração’, ou seja, trata-se de um prazo de Deus para nossa mudança de vida, reestruturação, transformação.

Hoje o Senhor diz: “Os ninivitas levantar-se-ão no dia do juízo para condenar os homens dessa geração, porque fizeram penitência com a pregação de Jonas” (Lc 11.32). O Senhor nos convida a ter um coração semelhante ao coração dos ninivitas, veja, seria preciso três dias para percorrer toda a cidade (Jn 3,3), mas em apenas um dia os ninivitas creram “nesta mensagem” (Jn 5,5). Estamos dentro do prazo para nossa conversão, estamos em plena Quaresma, quarenta dias que precedem a Páscoa do Senhor. Medite sobre isso, escreva em seu caderno, qual o propósito de Deus ao inspirar na Igreja este tempo quaresmal?

Observação: Leve em contra que conversão não é mudança de religião, conversão é mudança de mentalidade, de uma mentalidade pagã para uma mentalidade cristã.

Em oração suplique ao Senhor um coração aberto a sua voz, a voz do Pai. Quantas vezes somos incapazes de perceber onde está o apelo de Deus ao nosso respeito. Reze ao Senhor, suplique uma alma dócil ao seu chamado a conversão.

Até amanhã.

Lectio Divina – 15 de março de 2011

Olá meu irmão,

O refrão do salmo de hoje diz: “O Senhor liberta os justos de todas as angústias” (Sl 33). Então, se há alguma angústia seu coração, peça: Pai, cumpra em mim esta afirmação do salmo, liberta-me de toda angustia. Relate suas angustias a Deus Pai, escreva em seu caderno.

Agora clame a presença do Espírito Santo, pois é Ele que está agindo silenciosamente em sua vida a cada dia, a cada oração. Deixe-se iluminar pelo Santo Espírito, expressando verbalmente o seu desejo de que Ele venha guiar sua oração.

Vamos rezar com a Palavra de Deus. Os textos da liturgia de hoje são: Is 55,10-11; Sl 33; Mt 6,7-15;

Localize o Evangelho de São Mateus 6,7-15 para a meditação de hoje. Faça uma atenciosa leitura, lembrando que Deus nos deu todo o tempo do mundo, portanto este tempo que é reservado para Ele, deve ser vivido sem pressa, na certeza que a Palavra de Deus vem nos dar o alívio ao nosso coração, gerando frutos no decorrer de todo o seu dia.

O Senhor inicia seu discurso dizendo: “não multipliqueis as palavras…” (v. 7). O que significa multiplicar, para você? Escreva sobre isso. Depois o Senhor mesmo nos explica: “… Os pagãos que julgam que serão ouvidos a força de palavras…”. Com certeza existem muitos anseios em seu coração, até mesmo dor, memórias angustiantes e desafios maiores a serem superados, por isso, fale sobre tudo isso com o Senhor, sem multiplicar, ou seja, sem auto-piedade, somente aquilo que é, sem exagero. Não será você que irá convencer a Deus ao exagerar suas dores, pois, como diz o texto: “vosso pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais” (v. 8). É interessante também que você escreva em seu caderno o que está perturbando sua alma. Procure não citar nome de pessoas em suas anotações.

Observação: Escrever o que é, sem afetos exagerados, sem auto-piedade, porque isto vai nos ajudar a enxergar que também erramos. Provocamos situações difíceis com nossas fraquezas e não somos as únicas vítimas, isso nos levará a perdoar e a ponderar com maior facilidade.

Vamos em frente! Do versículo nono até o quinze o Senhor ensina a rezar o Pai Nosso, a oração do Senhor. Leia novamente, lentamente, e absorva da oração de Jesus em sua alma. Procure fazer passo a passo, palavra por palavra, como estamos exercitando todos os dias.

Hoje é dia em que Jesus nos ensina a nos dirigir ao Pai, então, em oração, peça ao Pai o que você deseja do fundo de sua alma? Escreva sobre isso.

Até amanhã.

Os 4 degraus da Lectio Divina

O que é a Lectio Divina?

É uma maneira de rezar utilizando a Palavra de Deus. A origem deste método de oração vem da Tradição Cristã e, por volta dos anos de 1150,foi organizada em quatro degraus pelos monges. Este jeito de rezar, portanto,vem caminhando com nossa Igreja e está ao alcance de todos, é para o homem e para a mulher, para o idoso, o jovem e a criança, todos podem falar com Deus eescutá-Lo.

Como devemos iniciar nosso encontro com Deus?

1º Escolha um local.

2º Suplique o Espírito Santo.

Sim é Deus, por seu Espírito Santo, que vai conduzir você na oração. O mesmo Espírito de Deus que inspirou as Sagrados Escrituras vai levar você a orar com Ela e a compreendê-La.

Os quatro degraus da lectio divina são:

A leitura, meditação, oração e a contemplação.

1. Leitura

“O homem é aquilo que ele lê”

O primeiro passo é a escolha do texto bíblico, esta escolha deve ser feita entre a leitura do dia, o salmo ou o Evangelho que a liturgia nos propõe, assim, você se colocará em unidade com a Igreja no mundo inteiro.Escolhido o texto, comece a leitura, leia quantas vezes for necessário até que a Palavra ressoe dentro de você e te absorva para dentro Dela. É na leitura que o texto sagrado começa a se realizar, a Palavra que está sendo lida com fé, se atualiza naquele momento.

Perceba também do que se trata o texto. O que este trecho diz? De quem está falando? A quem está sendo dirigido? No próximo degrau que é a meditação você trás o texto para a realidade que você vive hoje.

Escreva em poucas palavras o que você percebeu do texto até este momento. Por exemplo:

No texto de hoje Jesus está visitando uma casa, e já pode fazer uma prece: Jesus visita também minha casa.

2. Meditação

“Ignorar as Escrituras é ignorar a Cristo” (CIC 133)

A tarefa da meditação é refletir sobre o texto que você acabou de ler. O Espírito Santo tem algo único para revelar sobre esta passagem para você. À medida que acontece a leitura, como já foi dito, a Palavra de Deus se atualiza, torna-se concreta, real e transformadora. Depois de ler repetidas vezes se questione: O que Deus diz de único para mim, de forma pessoal, neste texto?Qual será minha resposta diante do que Deus me diz?

Escreva a parte do texto que mais te chamou a atenção.

Através da Palavra de Deus, o Senhor nos faz uma visita amorosa, muitas vezes Ele exorta, chama a retomar o caminho e consola.

Escreva o fruto de sua meditação.

3. Oração

“A Oração é um caminho seguro para a santificação”.

Quem ora assiduamente com a Palavra de Deus percebe que Alguémvem ao seu encontro. Concretamente na oração devemos responder o que o texto lido e meditado nos leva a dizer a Deus? Pode louvar, agradecer, suplicar ou interceder, enfim, é hora especialmente de pedir que a graça aconteça e seja abundante. Que a Palavra venha cumprir sua missão. As Sagradas Escrituras dizem: “… a palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado a minha vontade e cumprido sua missão…” (Is 55,10-11). A oração é a resposta ao que Deus falou na leitura e na meditação. O que Deus falou? Qual a sua resposta?

Escreva sua oração.

4. Contemplação

“Contemplar é entrar em solidão, parar e tão somente, olhar para Deus…”

Depois de ler, meditar e orar com a Palavra é hora de saborear.

A contemplação leva o orante ao uma quietude saborosa e tranqüila, a um repouso do ser e do fazer, a uma experiência profunda do Deus verdadeiro que revela sua face amorosa e próxima. Para alcançar a contemplação é preciso insistir. Contemplar é dom e é graça.

Escreva se durante a contemplação a ação de Deus visitou você.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura.” (Mc 16,15)

Por último é hora de tornar a oração eficaz, testemunhando com atitudes as mudanças que a Palavra de Deus provocou em sua vida.

Fonte: Comunidade Oásis